Denominação

Denominação de uma tribo de índios que habitava na região. Etimologicamente significa “Moradores do Rio das Onças”.

1924 – Confederação do Equador

Em 31 de outubro de 1824, o povoado foi marcado pelo mais importante embate verificado no Ceará, entre as tropas imperiais e os componentes da Confederação do Equador que lutaram por um Nordeste independente.

Deste embate, realizado as margens do Rio Jaguaribe, resultou a captura e o assassinato de Tristão Gonçalves de Alencar Araripe, Presidente da Confederação do Estado do Ceará. No ano de 1924, o Instituto Histórico do Ceará, ergueu no local denominado Alto dos Andrade, no Sítio Tapera, zona rural de Jaguaribara, um pequeno monumento ao herói. Supostamente seus restos mortais foram sepultados na capela do povoado.

Jaguaribara foi distrito de Jaguaretama, até que a Lei de nº 3.550 de 9 de março de 1957, promoveu-o a município.

A denominação atual de Jaguaribara oficializou-se com o Decreto Lei nº 1.113 de 30 de dezembro de 1943, sendo uma referência á tribo tupi que habitava a região.

Etimologicamente Jaguaribara significa Moradores do Rio das Onças.

1985 – Organização e Planejamento Participativo

Em 1985 chegaram a Jaguaribara as primeiras notícias acerca da construção da barragem do Castanhão. A grande obra, maior reservatório hídrico do Brasil destinado para a irrigação, vai guardar sob suas águas 2/3 (dois terços) de Jaguaribara, inclusive a antiga sede do município, que foi substituída pela primeira cidade planejada do Ceará. Vale ressaltar que a nova sede conta com réplicas da antiga sede, sendo elas: a igreja matriz e ainda a igreja do Poço Comprido, antigo distrito do município.

O Governo do Estado está conduzindo a implantação da Barragem do Castanhão de modo a assegurar a justa compensação a todos os atingidos e, adicionalmente, a criar as condições para a participação destes nas oportunidades de negócios e progresso decorrentes do empreendimento.

Com esta finalidade foi criado o Grupo de Trabalho Multi-Participativo para Acompanhamento das Obras da Barragem do Castanhão, principalmente a relocação da Cidade de Jaguaribara (onde foram deslocadas aproximadamente 3.600 pessoas da área urbana), além do reassentamento da população rural da área a ser inundada e da área atingida pelas obras civis, o que implica no deslocamento de cerca de 8.000 pessoas residentes nos municípios de Jaguaribara, Jaguaretama, Alto Santo e Jaguaribe.

Cidade – Construção/Mudança

O que parecia apenas um sonho, hoje é algo real.

Em pleno sertão cearense, sob um sol de 40º graus, e cercado de Caatingas, nasce a primeira cidade totalmente projetada do Estado do Ceará. Um trabalho instenso e amplamente ousado dar vida a um espaço que antes era simplesmente mata nativa. Enquanto a nova sede ia sendo construída, a antiga estava com os dias contatos para desaparecer.

Após 16 anos de sonhos e expectativas, foi dada a partida e os moradores começavam a atrilhar seu novo destino rumo a terra prometida.

Iniciado o processo de transferência para a nova sede, o espaço que antes abrigou sonhos, desafios e conquistas era desocupado pela população e em breve viraria pó, retornando ao que fora anos atrás, com um aspecto nativo de solidão e abandono. A estrutura física, agora escombros, desaparecerá debaixo das águas do Castanhão.

Enquanto isso, a nova sede ganhava o aspecto de cidade, com seus equipamentos projetados, acolhendo o povo para a qual estava destinada. Inaugurada em 25 de setembro de 2001, a cidade trilha os novos rumos de sua história contando com novas oportunidades de desenvolvimento. Neste caminho que se refaz, Jaguaribara é uma referência histórica que ultrapassa fronteiras, onde o seu povo reescreve sua história, cultivando no coração a esperança de dias melhores.

Construída no Vale do Jaguaribe no interior do Ceará, a 250 Km de Fortaleza, a cidade de Nova Jaguaribara foi a primeira do Estado a ser planejada com toda uma infra-estrutura. A cidade nova recebeu os habitantes da “velha” Jaguaribara. O motivo: a construção do Açude Castanhão, a maior obra hídrica do Estado do Ceará.

A história de Nova Jaguaribara é envolvida num projeto de ampla participação popular. Concebida sob um clima debates entre o poder público e a comunidade da região, a proposta da construção da nova sede urbana de Jaguaribara entra para a História como um exercício de cidadania. Dos primeiros passos do projeto até a solenidade de inauguração da nova sede, todas as decisões foram adotadas respeitando-se a vontade do colegiado, formado por agentes públicos e representantes comunitários.

Uma nova cidade surgiu no sertão semi-árido cearense com a proposta de assegurar uma melhor qualidade de vida para seus habitantes. Nova Jaguaribara dá seus primeiros passos consolidando um projeto de desenvolvimento sustentável com equipamentos públicos aptos a prestarem um serviço de qualidade aos seus cidadãos. Com a conclusão das obras do Açude Castanhão, Nova Jaguaribara terá assegurada a possibilidade de oferecer aos seus habitantes um novo perfil econômico, que influenciará, diretamente, na situação social de sua gente.